sábado, 19 de dezembro de 2009

COMÍCIO DO "MDB" NA Pça. CAMILO DE HOLANDA



Da esquerda para direita: Bosco Barreto, Espedito Sobrinho, Acácio Braga Rolim e o Senador Humebreto Lucena, em comício na Praça Camilo de Holanda. Um detalhe "importante" nesta foto é a presença do popular João Soares - em destaque no canto direito. O mesmo, um figura bastante conhecida dos cajazeirenses, fazia a segurança dos candidatos Humberto Lucena - a Senador e Bosco Barreto - a Deputado Estadual.

foto: http://www.defatosefotos.hpg.com.br

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

SOBRE O FECHAMENTO DA ESCOLA DE TEATRO



Instalada em 1982, pelo Reitor da UFPB José Jackson de Carvalho, a antiga Escola de Teatro de Cajazeiras, que na realidade nunca funcionou como escola de formação de atores - pois durante o curto tempo que esteve aberta jamais formou um ator ou atriz; situava na antiga residência onde morou a (já falecida) matriarca do teatro cajazeirense Íracles Brocos Pires - Ica. Na época da sua desativação, uma terça-feira, dia 23 julho de 1985, segmentos da cultura e imprensa da terra de Padre Rolim, culparam o recém impossado Diretor do Centro de Formação de Professores, José Leite da Silva de ser o responsável principal pelo o seu fechamento. Uma inverdade; pois a decisão de acabar com a mesma, foi tomada dentro das dependências do NTU - Núcleo de Teatro Universitário, em João Pessoa, por dirigentes e lideranças ligadas aos Grupos de Teatro Terra e Grutac, que desfrutava de boa ligação com a direção daquele Núcleo de Teatro e que faziam oposição ao Grupo de Teatro Boiada e a Associação de Teatro Amador de Cajazeiras - ATAC; entidades que reividicaram a instalação da escola na cidade. O reitor José Jackson, apenas persuadiu um pedido feito e o Diretor do Centro de Formação de Professores cumpriu ordens - já que os integrantes do NTU gozavam de prestígio e confiança junto a PRAC, COEX, orgãos que eram vinculados a Reitoria.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

3ª COLETIVA DE ARTES PLÁSTICAS


..............................................................................................

Cartaz da 3ª Coletiva de Artes Plastica de Cajazeiras. Na abertura, que ocorreu na Biblioteca Pública Municipal em 23 de julho de 1983 - há 26 anos atraz, estiveram presentes o Reitor da UFPB, Berilo Ramos Borba; o Prefeito Municipal da Cidade, Eptácio Leite Rolim; o Superitendente do Núcleo de Extenção Cultural, João de Deus Quirino e a Coordenadora do Atelier Cajazeirense de Artes Plástica Telma Rolim Cartaxo. A coletiva fez parte da programação da XX Semana Universitária de Cajazeiras e contou com a participação dos artistas: Aldacira Pereira, Cleudimar Ferreira, Edme Soares, João Braz, Jorge, Leão Carlos, Marcos Pê, Marcos Túlio, Marcos Pequeno, Marcos Ramalho, Marcondes, Marcos Além, Neide, Noemia Lins, Onireves, Socorro Menezes, Ségio Sá, Salvinho e Telma Rolim Cartaxo. A arte do cartaz foi de Eliézer Filho, ex-dirigente do antigo Grupo de Teatro Terra.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

O SOL DO AÇUDE GRANDE



... Este caminho ninguém já o percorre, salvo o crepúsculo.

BASHÔ - Trad. Olga Savary Foto: Cleudimar Ferreira

O ISALAMENTO DA VELHA ESTAÇÃO



O Ramal e a Estação Ferroviaria de Cajazeiras foram inaugurados em 05 de agosto de 1926. O ramal tinha apenas 21 quilômetros. Em 1971, 41 anos depois, o complexo ramal-estação foi desativado. Nessa época os trens que fazim a linha de Cajazeiras-Antenor Navarro-Crato/CE, já não circulavam mais, pois teriam sidos suprimidos em 1967.

fonte: http://www.estacoesferroviarias.com.br/ce_crato/cajazeiras.htm
foto: http://www.defatosefotos.hpg.com.br

sábado, 5 de dezembro de 2009

SOB O SOL DE CAJAZEIRAS



... é preciso partir
é preciso chegar
é preciso partir é preciso chagar... Ah, como esta vida é urgente!
... no entanto
eu gostava era mesmo de partir...
... viajar, viajar
mas para parte nenhuma...
viajar indefinidamente...

trechos "Poema Transitório" Mário Quintana
foto: Cleudimar Ferreira

Olhe só o que achei.



Cartaz da peça de teatro "O País de São Fuá" texto e direção de Antônio dos Anjos, produzida na década 80, pelo Grupo de Teatro Brasileirinho - GRUTEBRAZ. O texto bastante cômico, satirizava os problemas sociais e politicos vividos pelos sertanejos naquela época - já no finalzinho do período de repressão. O cartaz foi criado por Cleudimar Ferreira e a arte final eleborado por Marcos Pê com a produção gráfica patrocinada pelo Armazém Paraíba.

terça-feira, 17 de novembro de 2009



É só eu sei, quanto amor / Eu guardei, sem saber / Que era só pra você / É só tinha de sem com você / Havia de ser pra você...
...Você que é bonito demais / Se ao menos podesse saber / Que eu sempre fui só de você / Você sempre foi só de mim...
...E eu sempre foi só de você / Você sempre foi só de mim..

Trecho da música "Você" Tom Jobim.
foto: Cleudimar Ferreira
.