sábado, 20 de março de 2010

AÇUDE GRANDE: ABANDONO E RESISTÊNCIA.

As duas fotos ao lado, revelam aos olhos do saudosismo, uma época remota do lendário Açude Grande de Cajazeiras; hoje esquecido, abandonado e desamparado por aqueles que durante longas décadas, beberam de sua água e saciaram as suas sedes nos longos períodos de estiagens. Idealizado pelos antigos fundadores da cidade - Vital Rolim, Ana de Albuquerque e Padre Rolim, que sensibilizados com a problemática e angustiante escassez de água na região, juntaram alguns escravos que tinha e a troco da força servil, realizaram no século XIX a sua primeira construção. A importância do açude para a cidade nos faz viajar no tempo, nos leva em pensamento a um passado distante, quando em 27 de dezembro de 1915, ano de uma terrível seca, deu-se início a sua ampliação pelo Governo Federal, cuja supervisão e responsabilidade da reforma ficaram a cargo do engenheiro Coelho Sobrinho, que juntamente com o suor de 300flagelados” terminou a sua construção em 16 de abril de 1916. Inaugurado festivamente pela sociedade cajazeirense da época, o mesmo recebeu o nome de açude “Senador Epitácio Pessoa”. Sem dúvida, as fotos, embora amareladas pelo tempo, representam um legado fotográfico da história da cidade.


Nenhum comentário: