sexta-feira, 15 de abril de 2011

Uma mulher para dois maridos


..........................................................................................................

Em meios a querelas, ataques, insultos, marasmos e comportamentos adversos dos que se acentuam como a linha de frente da cultura cajazeirense hoje, mas que na realidade são improdutivos, pusilâmicos demasiadamente e não produzem nada; surge um espetáculo para quebrar a rotina e jogar um baldo de água fria nesse desculturado momento vivido pelo teatro de Cajazeiras, tão exaustivamente divulgado pela impresa local através dos principais portais da cidade.

A salvação da lavoura, que caiu no tempo certo é a peça “Uma mulher para dois maridos”. Um texto bem elaborado por Elizeu Miranda, agora dirigido por Francisco Hernandez, que por sinal, pela a experiência que tem como ator e pelo seu biotipo, poderia até ser aproveitado para fazer um desses personagens tipicamente nordestino da nova novela das seis “Cordel Encantado” da Rede Globo”.

No texto, Miranda conta a história de Olívia, uma jovem que se vê dividida entre o amor de dois homens. Há um ano, ela casou-se com Roberto, seu primeiro marido e na noite de núpcias o mesmo caiu do navio em que viajavam antes da consumação da lua de mel. Olívia, desesperada, desiludida, consola-se nos braços de Arnaldo, seu amigo, por quem acaba se apaixonando e após um ano resolve casar-se novamente. Ao chegar em casa, após o casamento, os dois têm uma grande surpresa: Roberto está de volta! A partir desse inesperado reencontro o público irá se deparar com situações hilárias, pois os “dois maridos” passam a disputar a tão sonhada noite de amor com Olívia.

A montagem tem a direção, sonoplastia e cenografia do próprio Francisco Hernandez. A concepção e iluminação de George Hebert e o figurino e a maquiagem de Mayara Hernandez. O elenco é formado pelos atores Walther Nunes, Erenilton Lopes e Mayara Hernandez. Foi produzida pela Associação Cajazeirense de Teatro - ACATE, através do ponto de cultura Artes Para Todos com patrocínio do Fundo de Incentivo à Cultura - FIC do Estado da Paraíba. O espetáculo pode ser visto a partir de hoje até domingo no palco do Teatro Ica Pires, às 21 horas.


Nenhum comentário: