segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Banda Cabaçal de Cajazeiras

banda de cabaçal de Cajazeiras,
em 18 de abril de 1938. Foto de Luis Saia 

As bandas cabaçais, também conhecidas como bandas de pífanos, são grupos com repertório de música popular instrumental. De formação variada, compõem-se tradicionalmente de quatro integrantes, com instrumentos de sopro e percussão: pífano, zabumba e caixa, sendo verificados também em alguns grupos tocadores de instrumentos como a sanfona, triângulo e os pratos, que se apresentam nas animações das festas religiosas e outros festejos comemorativos das suas localidades.

A imagem acima, registrada nos anos 50, é um importante documento histórico para se entender como se comportou a formação da Banda Cabaçal de Cajazeiras, uma tradição popular que rompeu preconceitos e adversidades do tempo e que por incrível que pareça, continua viva. A sua aparição ao público, mesmo que acanhada, se deu com mais frequência nos anos 80 com a instalação do antigo Núcleo de Extensão Cultural da UFPB, uma incubadora de promoção de cultura na região de Cajazeiras, que congregava uma Escola de Teatro, Atelier de Artes, Coral Universitário, Central de Artesanato e um extensivo trabalho de resgate de grupos folclóricos adormecidos que trouxe a tona entidades como o Grupo de Reisado, a própria Banda Cabaçal e
até Brincantes de Mamulengos da zona sul da cidade - mais precisamente do Bairro de Capoeiras.

De todos esses grupos patrocinados na época pelo NEC/UFPB, o que sem dúvida mais encantava e que permaneceu por um bom tempo na graça dos cajazeirenses foi a Banda Cabaçal. A mesma era chamada para animar feiras de artesanatos, festas religiosas, eventos importante como as várias versões das Semanas Universitárias de Cajazeiras e até visitas de autoridades do Es
tado na cidade. Com a extinção do órgão da UFPB, no final dos anos 80 e inicio dos anos 90, todos esses grupos passaram para o anonimato ou foram esquecidos pelo poder público. A Banda Cabaçal passou esporadicamente a se apresentar na sua própria comunidade, fora isso, há registro de sua reentrer, já como nova formação, na Noite de Cultura Popular no Centro Histórico de João Pessoa, durante o 1º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária como mostra a foto abaixo.

Nenhum comentário: