domingo, 8 de abril de 2012

O artista "Modesto Maciel" em seu atelier
  onde anda Modesto Maciel  


Natural de Cajazeiras, Modesto Maciel é autodidata. Começou a trabalhar com arte pra valer no final dos anos 60, tendo produzidos algumas telas de características beirando ao surrealismo expressivo, cheio de ornamentos, muitos deles, vinculados ao imaginário coletivo do povo sertanejo; produção essa, exposta em algumas coletivas realizadas na cidade, organizadas através da também artista plástica Talma Cartaxo. Nos anos 70 começou a entalhar e esculpir em madeiras como a umburana branca, mais tarde, o cedro, mogno, peroba e o cravinho, explorando uma temática religiosa, repleta de elementos sacros ligados à cultura regional nordestina, como bem falou certa vez: “procuro valorizar as imagens sacras, sempre apreciadas pelos devotos da fé, esse é o verdadeiro espírito do sertanejo”. Nos anos 80 Modesto foi convidado por padres italianos ligados à diocese de Cajazeiras para ir a Itália fazer um curso de aperfeiçoamento na arte de esculpir. De volta da Itália depois de ter passados três anos em contato com a arte romana, pisando no solo de Tintoreto e Tiziano, vivenciando as esculturas de artistas geniais como Michelangelo e Bernini, o artista desembarcou em Cajazeiras e instalou uma Escola de Artes Plásticas do interior do Ceará. Nesse mesmo período, passou a realizar várias exposições e participar de salões de artes em várias cidades do Brasil, como também no exterior, sendo premiado pelo Instituto Ladin Dom B. Brunnel, em Moema na Itália. Mais recentemente, o artista cajazeirense participou de projetos de incentivo a arte, patrocinados pelo SESI e de uma mostra - retrospectiva, realizado pelo NAC - Núcleo de Arte Contemporânea, em João Pessoa. 



Nenhum comentário: