sábado, 22 de dezembro de 2012

Só pra lembrar Expedito Sobrinho. Repentista, violeiro e poeta popular.

Expedito Sobrinho - O rádio, sua segunda paixão
Repentista, poeta popular e violeiro afamado, respeitado em todo Nordeste pela capacidade que tinha de improvisar versos nas ocasiões em que lhes foi dada durante os encontros que teve com outros repentistas amigos de viola; Expedito Sobrinho deixou um legado na poesia popular nordestina. Sobretudo pela facilidade para o improviso e o talento que dispunha para compor versos sem preparação prévia, como nesse disputado "galope a beira-mar" com o também poeta e parceiro de cantoria Lourival Pereira:

Perguntei o nome da mercadoria
Ele disse aqui a gente traz de tudo
Mostarda estrangeira que o grão é miúdo
Petróleo, amianto e tapeçaria
Pedras preciosas que o povo aprecia
Brilhante ametista pra fazer colar
Ouro português pra quem quer comprar
Pedra opala e amazonita
Berilo, ouro branco, prata e tantalita
Pra fazer negócio na beira do mar

(Expedito Sobrinho)

Eu cheguei um dia na beira do cais
Admirei muito o seu movimento
Navios fazendo descarregamentos
Pacotes maneiros, pesos desiguais
De dez toneladas, de vinte e de mais
E a um marinheiro peguei perguntar
De onde é que vem pra descarregar
Ele disse: da Bélgica, Egito e Hungria
Da Síria, da Pérsia, da Angola e Turquia
Trazendo isso tudo pra beira do mar

(Lourival Pereira)
  
Capa do disco lançado ao lado do poeta Lourival Batista
Expedito Sobrinho e Barbosa da Silva

Expedito Alves da Silva era autêntico, humanista. Seu nome pode ser lembrado não só pelos discos que foram lançados ou em poemas escritos; mas pelos seus atos e virtudes e principalmente na lembrança de todos aqueles que viram e ouviram atuando, que conheceram e apreciaram o seu trabalho, que não foram poucos, pois a sua memória perdura intensamente até a atualidade. Era natural da cidade de Baixio - Ceará, mas escolheu a cidade de Cajazeiras como seu segundo lar, onde era radicado e exerceu sua carreira de repentista, como também, a de radialista e homem público.
Com amigos

No clipe abaixo, Expedito Sobrinho canta o poema 
"Saudades" de sua autoria.



2 comentários:

roselma da rocha alves disse...

Linda homenagem ao meu pai Espedito Sobrinho, muito obrigado valeu mesmo......

fernandes disse...

Esse e nosso nordeste