domingo, 23 de fevereiro de 2014

Marcos Pê, Cleudimar e Telma Cartaxo, (Montagem 
dos painéis da exposição)

Primeira mostra de artes plásticas ao ar livre  
em  Cajazeiras.


(Há 32 anos). Em 1983, o Atelier de Artes de Cajazeiras, órgão que era vinculado ao antigo Núcleo de Extensão Cultural-NEC/UFPB, chegava a sua segunda mostra de artes com trabalhos dos seus alunos e artistas integrantes.

Nesse ano, o atelier consolidava a parceria com a comissão organizadora das semanas universitárias; realizava também a sua primeira exposição ao ar livre. Uma experiência rodeada de expectativas, já que o local escolhido era a Praça Nossa Senhora de Fátima-Praça da Sé, popularmente conhecida como Praça da Cultura.

Para tanto foi providenciado tapumes, cordas, pregos e outros apetrechos que serviriam para montagem dos painéis onde ficariam expostos os trabalhos. O difícil nessa empreitada do atelier cajazeirense era o fato que a exposição dividiria o mesmo espaço com a realização de uma das versões do Festival da Canção no Sertão. A multidão de gente que o evento musical reunia na praça e o trabalho que os seus integrantes teriam todas as noites de recolher os trabalhos e guarda-los em uma casa vizinha e no outro dia voltar a coloca-los no mesmo lugar, era a principal preocupação de todos.

Entretanto, como o evento era ao livre, sujeito as intempéries do tempo, mudanças ambientais e climáticas, estávamos preparados. Na noite de abertura da exposição, nuvens escuras se fez de teto no local. O tempo fechou e um vento forte tomou conta da Praça da Cultura e os painéis com os quadros começaram a se torcerem com alguns quadros vindos abaixo. Eu e Marcos Pê fumos ao socorro das estruturas que seguravam as telas. Mesmo assim, a ventania saiu derrubando os trabalhos no chão.  Mas deu para recolhemos todos quadros e proteger-los com mais segurança no Coreto da Praça.

Após o vento e a chuva fina passarem, a lua apontou no céu com a sua luz reluzente. Voltamos a colocar os quadros no local e a exposição com festival da canção, prosseguirem.

O Atelier de Artes do antigo NEC/UFPB foi uma entidade que consolidou e contribui muito para o desenvolvimento das artes visuais na região de Cajazeiras. O mesmo surgiu após a realização em 1978, do I Salão Oficial de Arte Contemporânea do Sertão.

Com a sua instalação, foi possível a concretização, em 1981, do primeiro intercâmbio de artes entre Cajazeiras e Campina Grande, com os artistas de nossa cidade tendo a oportunidade de expor e mostrar seus trabalhos no antigo Museu de Artes da instinta FURNe. Depois, a realização da III Coletiva Cajazeirense de Artes Plásticas, em 1983; a Coletiva Cajazeirense de Artes Descartável, em 1984 e em 1985, a realização da exposição em homenagem a Teatróloga Íracles Pires, no Grupo Escolar Monsenhor Milanez. Todas sob a coordenação de Telma Rolim Cartaxo.



Nenhum comentário: