quinta-feira, 17 de agosto de 2017

PROGRAMAÇÃO DO CINE AÇUDE GRANDE


QUINTA-FEIRA – 24/08/2017
MANHÃ
9h Oficina Produção Audiovisual – Ministrante: Marcelo Paes de Carvalho
Local: UFCG
9h Oficina Teatralizando – Ministrante: Alhandra Campos
Local: Centro Cultural Zé do Norte
TARDE
14h - X Mostra Interestadual do Cinema Paraibano - - PROJETO CINESTÉSICO – CINEMA E EDUCAÇÃO
ARUANDA – Diretor: Linduarte Noronha - DOC-FIC, 21’
CÃO SEDENTO – Diretor: Bruno Sales - FIC., 10’
A CANGA – Diretor: Marcus Vilar - FIC., 12’
OS ROMEIROS DA GUIA - Diretor: João Ramiro Melo e Vladimir Carvalho -DOC., 15’
AMANDA E MONICK – Diretor: André da Costa Pinto  - DOC., 18’
Local: Auditório UFCG
14h - Mostra Infantil - Buda Lira
Imãginações – Diretor: J. França – Fic/6:45’
Estranho Impar - Beto Oliveira - 15’8’’ FIC SP
Vai que é tua Tafarinha – Diretor: George Augusto Fic/AM/ 5'
#apaixonadinho - Alexandre Estevanato – Fic/SP/13’26’’
Local: CAIC
NOITE
19h - Abertura Oficial
19h15 - Apresentação cultural
19h30 Mostra Competitiva Nacional - Marcélia Cartaxo
Preto Pobre Puto –Diretor: Diego Tafarel – Doc/DF/14’59
O Guardião - Fernando Menegatti – Fic/RS/19’59
Frequências - Adalberto Oliveira – Fic/PE/19’29
Em Torno do Sol – Diretor: Júlio Castro / Vlamir Cruz – Fic/RN/11’59
20h30 - Mostra Competitiva Parahybana - Bertrand Lira
Adiós, Jampa Viega! – Diretor: Virgínia de Oliveira Silva– Doc/PB/14’53
Malha - Diretor: Paulo Roberto – Doc/PB/14’13
Manancial - Diretor: Bruno Soares – Fic/PB/14’13
Sobre uma borboleta e seu casulo - Diretor: R.B. Lima – Fic/PB/7’28
21h30 Debate com os realizadores
22h Shows Banda Conspiração Apocalipse
Local: Açude Grande

SEXTA-FEIRA – 25/08/2017
MANHÃ
9h Oficina Teatralizando – Ministrante: Alhandra Campos
Local: Centro Cultural Zé do Norte
9h Oficina Roteiro, noções básicas – Ministrante: Torquato Joel
Local: UFCG
TARDE
14h X Mostra Interestadual do Cinema Paraibano - - PROJETO CINESTÉSICO – CINEMA E EDUCAÇÃO
UMA FLOR NA VÁRZEA – Diretor: Mislene Santos e Matheus Andrade - DOC., 20’
TRANSMUTAÇÃO – Diretor: Torquato Joel - DOC., 12'
ILHA – Diretor: Ismael Moura - FIC., 15'
PRAÇA DE GUERRA – Diretor: Edmilson Nunes - DOC.,20’
SOPHIA – Diretor: Kennel Rógis - FIC., 15'
LOCAL: UFCG
14h – Maquiagem, uma vivência – Ministrante: Williams Muniz
Local: Centro Cultural Zé do Norte
14h - Mostra Clandestina Nanego Lira
Quando Parei de Me Preocupar Com Canalhas – Tiago Vieira – Fic/SP/14’59
Deuteronômio 22 - Diretor: Érico Luz – Fic/SP/5’22
Sangria – Diretora: Iasmin Alvarez – Fic/SP/ 15'16''
Entre Os Ombros – Diretora: Carolina Castilho – Fic/SP/19’06
Atrito – Diretor: Diego Lima – Fic/PB/18’35
Hozana nas alturas – Diretor: Eduardo Varandas Fic/PB/17’33
Local: UFCG
14h Mostra Infanto-Juvenil Buda Lira
Sai da Frente! – Diretor: Artur Bryk – Animação/ SP/2’53’’
Esaú, o catador de histórias – Diretor: André Dias – Animação/CE/9’49’’
O menino do dente de ouro – diretor: Rodrigo Sena FIC/RN 14’41’’
Bem Bonzim - Diretor: Wesley Kayke - 8’ FIC PB
LOCAL: ESCOLA MARIA GUIMARÃES COELHO
NOITE
19h Apresentação cultural
19h15 Mostra Competitiva Nacional - Marcélia Cartaxo
O Homem Que Não Cabia em Brasília - Gustavo Menezes – Fic/DF/16’33
Fonte Nova - Matheus Vianna – Fic/BA/ 15’
Gigantes da Alegria –Diretor: Ricardo Rodrigues e Vitor Gracciano – Doc/RJ/12’
Capital (1957) – Diretor: Daniel Mata Roque – Doc/RJ/19’58
20h15 Mostra Competitiva Parahybana - Bertrand Lira
Cumieira – Diretor: Diego Benevides – Fic/PB/13’38
Contínuo – Diretor: Odécio Antonío – Fic/PB/16’14
Aroeira – Diretor: Ramon Batista – Fic/PB/19’2
Praça de Guerra – Diretor: Ed Junior– Doc/PB/19’
21h00 Debate com os realizadores
22h Shows
Baile Zé do Norte (COLETIVO CULTURAL MARIA FUMAÇA)
Banda Influenza (UFCG)
LOCAL: AÇUDE GRANDE

SÁBADO – 26/08/2017
MANHÃ
9h Mesa Redonda: Mulher e Cinema – Mediação: Thalyta Lima
Local: UFCG
TARDE
14h Oficina: Cinema e Educação – Ministrante: Virgínia Gualberto
Local: UFCG
16h Encontro do Fórum Audiovisual Paraibano – Mediação: Kalyne Almeida
Local: Açude Grande
NOITE
19h Lançamento do livro Cinema Noir – Bertrand Lira
19h20 Mostra Feminina Soia Lira
Andante, Allegro e Vivace - Diretora: Anderlúcia Caldas – Doc/PB/19'58
Cheiro de Melancia - Diretora: Maria Cardozo Fic/PB/16'07
Feliz Ano Novo - Diretora: Mônica Donatelli – Fic/SP/17'10
20h30 Debate com as realizadoras
21h30 Mostra Piolim (homenagem especial)
22h30 Debate com os homenageados e homenageadas
22h30 Shows
Coco de Dona Zefinha
Sandra Belê




domingo, 6 de agosto de 2017

PROGRAME-SE! VEJA A PARTE CULTURAL DA PROGRAMAÇÃO DE 154 ANOS DA CIDADE DE CAJAZEIRAS.


DIA 10/08 (QUINTA-FEIRA)
19h00 - Programa “Cinema nos Bairros”.
Local: Praça Irmã Fernanda - Casas Populares.
DIA 11/08 (SEXTA-FEIRA)
19h00 - Programa “Cinema nos Bairros”.
Local: Bairros Vila Nova e São Francisco.
DIA 14/08 (SEGUNDA-FEIRA)
19h00 - Abertura da Feira Cultural “Arte Agosto”, com apresentações de escolas do Sistema Municipal de Educação, (Vitória Bezerra, Crispim Coelho, Antônio Tabosa Rodrigues - CAIC, Luiz Cartaxo Rolim e Maria Guimarães Coelho).
Local: Praça da Matriz Nossa Senhora de Fátima.
DIA 15/08 (TERÇA-FEIRA)
19h00 - Continuação da Feira Cultural, com apresentações de escolas municipais. (José Leite Rolim, Cecília Estolano Meireles, Galdino Pires Ferreira, Matias Duarte Rolim, Costa e Silva, Irmã Nirvanda Leite).
Local: Praça da Matriz Nossa Senhora da Fátima.
DIA 16/08 (QUARTA-FEIRA)
17h00 - Abertura da Escola de Música Santa Cecília e lançamento do Projeto “Cantos que Educam”.
Local: Sede da Banda Municipal Santa Cecília.
19h00 - Continuação da Feira Cultural, com grupos artísticos locais e regionais.
Local: Praça da Matriz Nossa Senhora de Fátima.
DIA 17/08 (QUINTA-FEIRA)
19h00 - Continuação da Feira Cultural, com grupos artísticos locais e regionais.
Local: Praça da Matriz Nossa Senhora de Fátima.
DIA 18/08 (SEXTA-FEIRA)
08h00 - Lançamento do Edital do FUMINC - Fundo Municipal de Incentivo à Cultura.
Local: Centro Cultural Zé do Norte.
19h00 - Encerramento da Feira Cultural, com grupos artísticos locais e regionais.
Local: Praça da Matriz Nossa Senhora de Fátima.
19h30 - Lançamento do livro “Rima e Prosa de Cristiano Cartaxo”, e instalação da Mostra “Cristiano Cartaxo - um cajazeirense”.
Local: Auditório Bento XVI da FAFIC.
DIA 21/08 (SEGUNDA-FEIRA)
17h00 - Sessão Especial em homenagem aos 130 anos de nascimento do Poeta Cristiano Cartaxo.
Local: Escola Polivalente Cristiano Cartaxo.
20h00 - Lançamento do livro “Um Tranca no Brasil”, de autoria do médico Vituriano de Abreu.
Local: Biblioteca Pública Municipal Dr. Castro Pinto.
DIA 24/08 (QUINTA-FEIRA)
19h00 - Festival de Cinema Cine Açude Grande.
Local: Praça do Leblon.
DIA 25/08 (SEXTA-FEIRA)
19h00 - Continuação do Festival de Cinema.
Local: Praça do Leblon.
19h00 - Lançamento dos livros “Presepadas” e “Nossos Caminhos” de autoria, respectivamente, dos médicos cajazeirenses João Bosco Braga e Rafael Holanda.
Local: Biblioteca Pública Municipal Dr. Castro Pinto.
20h00 - Apresentação do Grupo de Xaxado Pisada do Sertão.
Local: Calçadão do Hotel Oásis.
DIA 26/08 (SÁBADO)
19h00 - Encerramento do Festival de Cinema.
Local: Praça do Leblon.
20h00 - Apresentação do Grupo Reisado Zé de Moura.
Local: Calçadão do Hotel Oásis.



quarta-feira, 2 de agosto de 2017

POESIAS DESTAQUES NO "CONCURSO DE POESIA 2017"

















De Cristiane Maciel

Foi um sonho
Deitada na areia
Diante de um lindo mar
Foi em noite de lua cheia
Que comecei a sonhar
Ao som das ondas
Que vão e que vem
Viajei com você
dentro de um trem
O trem tinha como destino
Um belo mar
Seguimos sempre sorrindo
Até o trem chegar
Caminhamos pela a praia
Deixamos os nossos passos a flutuar
E de testemunha,
A lua cheia a nos pratear
Depois entramos no navio
Com a Felicidade certa
O navio tinha como destino
Uma ilha deserta
Chegamos na ilha
E os teus lábios beijei
Ao sentir o néctar do seu beijo
Eu despertei
Acordei, sozinha, na areia
Debaixo de um céu estrelado
De uma lua cheia
E sem te ter ao meu lado.
Percebi que não estava sonhando
Mas nossos passos na areia pude ver
Acabei triste chorando
Sem conseguir entender
Porque eu amo você
                       











De Gissania Pereira Almeida

Roda gigante
Ontem andava com uma caneta
E um caderno nas mãos
Hoje só me restam as folhas fragmentadas
Nos mares obstruídos
Outrora, eu tinha "o tudo"
Estava numa redoma
Portanto, desconhecia a vida
Não tinha noção de nada
E caí no erro
Encontrei uma pedra de crack
No meio do caminho
E tropecei caindo
Hoje estou nas calçadas
Não da fama, mas da lama
Onde imploro por um pedaço de pão
Esgotaram-se os sonhos
O agora é pesadelo
Estou morrendo de frio
De lá para cá uma coisa não mudou:
Os Medos
Que multiplicaram, pois falta a redoma
Que me envolvia por completo
Sinto frio!













De Roberto Ferreira

Cigarro
Saliva!
Na Fumaça do cigarro 
O teu Beijo
Evapora
Lembranças
Me molha
Me baba
Me acende e me traga!
Traga
A trégua
O trigo
E o pão
Faz-me grão em tua terra
Fartura em tua ceia
Me aspira em poesia
Me inspira a poesia
Me queima até o filtro e me prende em ti o máximo que puder.













De Luíza Correia Alves Neta

A liberdade de ser poesia
Essa poema leve, esse poema cálido
Que aos poucos enaltece
O meu semblante pálido
Esse poema puro
Esse poema louvável
Conforta me desespero
E expulsa o tédio
Dos que me ignoram
Esse poema sutil, esse poema amável
Afasta a treva presente
Na atitude indevida
Me põe novamente serena
No que importa a vida.


De Willyan Ramon de Souza Pacheco

Sou Negro
Falam de meritocracia, mas não vejo oportunidades
Falam de educação, mas não dão escolas de qualidade
Falam porque sou negro, como se eu pudesse mudar minha cor
Dizem que somos humanos, mas não conheço um ser sem amor
Não quero regalias nem muita atenção
só quero respeito, paz e ser amado sem diferenciação
Sou negro, sou afro e meu cabelo é lindo!
Tenho orgulho da minha cor!
Me engrandeço com minha história de luta
E nunca me canso de ser sonhador
Luto todos os dias, acordo cedo e vou trabalhar:
Enfrento o mundo e o preconceito
Todos nós habitamos no mesmo lugar

Quero uma sociedade justa
Sem desigualdades nem ignorância
Não quero que me falte leite na boca da criança
Não quero ser oprimido, nem ser referência de cor:
Eu quero ser tratado como humano
Ter salário, não ir preso
Quero um mundo sem desprezo
O que quero é ser tratado como gente
Sem me chamarem de bandido
Eu quero que o policial seja meu amigo
Eu quero ter família e oportunidades para estudar
O que quero é ser reconhecido
Por também ser o dono desse lugar.




terça-feira, 25 de julho de 2017

CINE AÇUDE GRANDE VAI HOMENAGEAR OS ATORES BUDA E SOIA LIRA


A primeira versão do Cine Açude Grande, prestará homenagem aos atores cajazeirense, Buda Lira e Soia Lira. Os dois que a muito anos mora em João Pessoa, através de suas atuações no teatro paraibano fizeram história na dramaturgia nordestina. Com isso, tiveram até o momento, atuações marcantes no cinema nacional, incluindo aí não só participações em produções de curtas, mas também em longas-metragens, trabalhos em televisão e até em filmes publicitários.

A atriz Soia Lira que é irmão de Buda Lira, começou a sua trajetória atuando no teatro amador de Cajazeiras em 1977, quando juntamente com Eliezer Rolim e outros integrantes, fundou o Grupo de Teatro Terra. Em 1980, atuou na peça “Os Pirralhos”, com direção de Luís Carlos Vasconcelos. Fez parte do projeto Mambembão, em 1984, com o espetáculo “Beiço de Estrada”, texto e direção de Eliezer Rolim.

No cinema, participou dos filmes como: “Central do Brasil” e “Abril Despedaçado”, ambos dirigidos por Walter Salles. A atriz também encarnou papeis de destaques em “Osso de Carnaval”, de Jorge Freud; “A Arvore de Marcação”, de Jussara Queiroz e “A Árvore da Miséria”, de Marcus Vilar. Na TV Globo, Soia participou do Especial “Uma Mulher Vestida de Sol”, e da minissérie “A Pedra do Reino” ambos dirigidos por Luiz Fernando Carvalho.

Já Buda Lira é ator desde 1970, quando começou atuando no movimento teatral amador da cidade, época que também atuaram outras figuras importantes do teatro em Cajazeiras, como: Geraldo Ludgero, Tarcísio Siqueira e Ubiratan Assis.

No cinema, Buda participou de curtas e longas-metragens, dentre eles “Cão Sedento”, de Bruno Sales; “Matador de Ratos”, de Artur Lins; “Aquarius”, de Kleber Mendonça e tantos outros que compõe sua trajetória dentro do Cinema Nacional. Recentemente, Buda participou do filme “A Costureira e o Cangaceiro”, de Breno Silveira.






sábado, 22 de julho de 2017

Momento da apresentação de Vô Meira e suas Netinhas 
na sede do NEC - Núcleo de Extensão Cultural da UFCG, na última quarta-feira (19). Promoção: Projeto Sindicultura.







domingo, 16 de julho de 2017

PRIMEIRA POSTAGEM DO BLOG "CAJAZEIRAS DE AMOR"




Com essa postagem de título: "nosso sol é mais bonito", estreava na net no dia 27 de junho de 2008, às 7h38m (uma sexta-feira), o blog "Cajazeiras de amor". Portanto, há 9 anos e 19 dias atrás. No proposito de divulgar postagens seletas, inteligentes, com assuntos voltados para divulgação e difusão da arte e da cultura, tão somente da cidade de Cajazeiras. 

Com essa  propositura, o blog "Cajazeiras de Amor" resgatou e vem resgatado ao longo desse tempo, a história da produção cultural; dos movimentos e eventos artística do passado na cidade, e da atualidade também, já que mantém uma agenda diária do que está acontecendo nesse setor em Cajazeiras.

Nesses nove anos, o blog foi copiado, pirateado, lapidado e plagiado; já que são inúmeras as suas postagens, que são divulgadas por outros blogueiros desonestos, sem nenhuma referência feita; fonte ou crédito, que por direito o blog teria, se assim, por mérito, pensasse os que beberam na fonte do blog, para ajudar alimentar suas páginas na net.

Sendo um, ou talvez, o pioneiro criado com esse perfil na cidade, "Cajazeiras de Amor"(até então pouco prestigiado pelos que produzem cultura em Cajazeiras), seguirá no seu propósito, de compromisso com a sociedade cultural da cidade que ensinou a Paraíba ler, na esperança do seu devido reconhecimento, respeito ou consideração, por parte da imprensa cajazeirense, principalmente, por alguns colegas blogueiros da cidade.

"VIVA EU, VIVA TU, VIVA CAJAZEIRAS DE AMOR"




sábado, 15 de julho de 2017

Espetáculo de teatro fará homenagem a atriz cajazeirense Lacy Nogueira.



O espetáculo teatral “A Incelença” que se destacou na dramaturgia cajazeirense, como a produção teatral de maior público da cidade, voltará em breve ao palco do Teatro Ica. A informação foi postada nas redes sociais, pelo dramaturgo Francisco Hernandez.

Segundo Hernandez, a remontagem da peça tem dois objetivos principais: Um é prestar uma justa homenagem as atrizes Harolda Vasque e Lacy Nogueira - que atuou no teatro de Cajazeiras na década de 60. As duas atrizes, na visão de Francisco Hernandez, desenvolveram um trabalho de grande relevância no teatro, onde com suas formas simples e verdadeiras, emocionaram grandes plateias. O outro objetivo é participar da programação oficial de reabertura do Teatro Ica, planejada para ser execultada, e obviamente, sendo o teatro entregue a classe artística e ao povo de Cajazeiras pelo governo do Estado, ainda este ano.

Salientou ainda Hernandez, que o espetáculo contará com a participação de atores e atrizes do elenco original da peça, que queira interagir com novos atores, que nesse caso, terão a oportunidade de contracenarem com atores experientes, que fizeram sucesso com a peça e continuam brilhando nos palcos dos nossos teatros. Sob a direção de Francisco Hernandez, o espetáculo teatral "Incelença", foi vencedor de importantes prêmios em festivais de teatro.

Francisco Hernandez - Diretor Teatral




sábado, 8 de julho de 2017

GRUPO DE DANÇA DE RUA DA PARAÍBA, FARÁ HOMENAGEM DE 15 ANOS NO CENTRO CULTURAL ZÉ DO NORTE.



Criado em 2002, o Grupo de Dança de Rua da Paraíba, completa nesse ano de 2017, 15 anos de atividades destinada a divulgação e difusão da dança de rua na Paraíba, e em especial, na cidade de Cajazeiras, onde tem sede e onde concentra a maior parte de suas atividades. Fundado pelo coreografo Joel Santana, o grupo através do seu trabalho, vem colecionando prêmios adquiridos por meios de apresentações dentro e fora do eixo paraibano, entre eles, cerca de onze primeiros lugares em competições de nível interestaduais. Por esse espaço de tempo, o grupo já percorreu Estados como Rio Grande Norte, Ceará, Piauí e Pernambuco, sempre apresentando ao público a modernidade da dança de rua na Paraíba hoje. 

Para marcar essa data tão importante para a grupo e para a dança em Cajazeiras, o Grupo de Dança de Rua da Paraíba, vai fazer uma apresentação no dia 12 de agosto, a partir das 19h30, no Mini Teatro Geraldo Ludgero, instalado no Centro Cultural Zé do Norte. Oportunidade em que irá homenagear todos os integrantes que fizeram parte do elenco em 2002, como forma de gratidão aos trabalhos prestados ao grupo e a dança na Paraíba e em Cajazeiras. 


sexta-feira, 7 de julho de 2017

Conselho Municipal de Política Cultural, tem novos conselheiros em Cajazeiras.


Finalmente foi feito a renovação dos membros do Conselho Municipal de Política Cultural de Cajazeiras para o exercício de 2017 - 2019. A eleição dos novos conselheiros aconteceu ontem dia 06/07, no teatro de bolço Geraldo Ludgero, localizado nas dependências do Centro Cultural Zé do Norte. O encontro contou com a presença de representantes todos os segmentos da arte e da cultura local, e mais, do representante da Comissão Parlamentar de Cultura da Câmara Municipal, vereador e ator Rivelino Martins, além do Secretário de Cultura, Chagas Amaro e toda sua equipe de assessores da Secult. Foram eleitos para o biênio 2017-19, os seguintes conselheiros: Pelas entidades culturais-Grupo de Teatro Renascer e Cireneus do Caminho; a professora e produtora Edivânia Figueiredo. Pela Companhia Curicaca de Teatro; o iluminador e ator Fábio Pereira.  Os atores Francelino de Souza, Beethoven Dantas e o teatrólogo Francisco Hernandez, foram escolhidos e eleitos através do voto direto da plenária, como representantes da sociedade civil cajazeirense. 





PADRE GERVÁSIO: A CAMINHO DA SANTIDADE

José Antonio 



“A tristeza da minha vida é não ser santo” 
Padre Gervásio


O caminhar deste padre da Diocese de Cajazeiras é um exemplo de humildade, fé, doação, amor e da prática aos ensinamentos do cristianismo e tem como instrumento a palavra, palavra da verdade que deixa marcas indeléveis nos corações dos que o ouvem; umas podem ferir e contrariar, outras são bálsamos e esperança.

Fui seu aluno de Filosofia nos bancos do velho e tradicional Colégio Diocesano Padre Rolim e dele ainda guardo seus ensinamentos e tenho imenso prazer em ouvir suas homilias e suas falas através dos microfones da Rádio Alto Piranhas, quando assume posições sempre em defesa da distribuição igualitária do pão, do exercício da democracia e dos direitos humanos.

Padre Gervásio tem uma inteligência privilegiada e dedicou e ainda se dedica a estudar, um dos prazeres de sua vida. Ávido de conhecimento trilhou um longo caminho para antes de ser santo, ser um sábio. Quem é este sacerdote? Quem é este cidadão?

Gervásio Fernandes Queiroga nasceu na cidade de Uiraúna, em 19 de junho de 1934, conhecida como “Terra dos Sacerdotes”, por servir de berço ao longo da história para 46 sacerdotes, talvez o município da Paraíba que tenha concebido o maior número de filhos com vocação para servir a igreja católica.

Ordenou-se padre em 26 de julho de 1961 e está completando 56 anos de vida dedicada, com absoluta fidelidade, a Igreja Católica, Apostólica, Romana.

Antes de ir para a escola recebeu as primeiras lições de sua mãe, Ana Fernandes de Queiroga, casada com João Adelino de Queiroga, um guarda fio dos Correios e Telégrafos e desta santa união nasceram onze filhos. Teve como primeira professora, já na cidade São João do Rio do Peixe, a famosa mestra Conceição Freitas, irmã do saudoso Monsenhor Vicente Freitas, no Grupo Escolar Joaquim Távora.

Aos doze anos e oito meses se tornara aluno do Seminário em João Pessoa e aos 18 anos já se encontrava em Roma, onde passou dez anos e se graduou e fez Mestrado em Filosofia, na Pontifícia Universidade Gregoriana (1952-1955), tendo retornado à Itália onde passou mais dois anos, 1966 e 1966, para fazer os cursos de Introdução à Arte e de Extensão Universitária em Técnica de Pesquisa Social.

Em 1973 retornou para a Pontifícia Universidade Gregoriana para fazer Doutorado cuja tese CNBB: Comunhão e Corresponsabilidade um dos estudos mais profundos e importantes sobre a CNBB, cujo título foi obtido no ano de 1976.

Padre Gervásio compreende bem, fala bem, lê bem e escreve bem Latim, Grego, Italiano, Espanhol e Inglês.

No ano de 1977 voltou aos bancos escolares para se graduar em Direito, pela Universidade Federal da Paraíba no ano de 1980, Campus de Sousa, aonde era ao mesmo tempo aluno e professor.

Tem prestado relevantes serviços a Diocese de Cajazeiras: foi professor fundador da Faculdade de Filosofia de Cajazeiras, vigário de diversas paróquias, principalmente da Catedral de Nossa Senhora da Piedade, entre 27 de junho de 1976 a 6 de setembro de 1979, tendo-a recebido das mãos do Monsenhor Luís Gualberto de Andrade e a entregue ao Padre Antonio Luís do Nascimento. Enquanto vigário da Catedral realizou, as famosas “Festas da Amizade”, nas celebrações em honra a Nossa Senhora da Piedade, quando conseguiu reunir e resgatar a tradição da Festa da Padroeira.

Vem fazendo de sua cátedra um púlpito e do púlpito de sua igreja um dos maiores defensores dos “direitos dos pobres”, um abnegado apóstolo/servidor dos mais humildes e com sua extraordinária sabedoria e inteligência se encarna como um missionário do amor aos pobres.

Inquieto e visionário criou uma escola para formar padres: Instituto Missionário dos Pobres, que passou por Brasília, Natal e hoje sua sede está fincado em Cajazeiras e suas raízes se expandem pelas dioceses de Quixadá e Crateús. Já formou 10 padres e vem respondendo aos desafios históricos para atender aos sinais dos tempos.

Sobre política e políticos, sua ironia, sobre ser polêmico, sobre seu “afastamento” de Cajazeiras, sobre a ditadura, a “briga” dos padres italianos, sua presença na CNBB e outros temas que envolvem a sua vida de sacerdote e cidadão, oportunamente voltarei a este canto de página.

Um padre cuja vocação vem do “ventre da mãe” e tem como princípio “amar aos pobres” e com 56 anos de missão, já é um caminho para a santidade.


fonte: Diário do Sertão

terça-feira, 4 de julho de 2017

Governo realiza seminário de apresentação do edital Culturas Populares




A Secretaria de Estado da Cultura (SecultPB), em parceria com o Ministério da Cultura (MinC) - Regional Nordeste, promove, a partir da próxima segunda-feira (3), em João Pessoa, e na terça-feira (4), na cidade de Pombal, a oficina de apresentação do edital prêmio Culturas Populares - Leandro Gomes de Barros (http://culturaspopulares.cultura.gov.br/).
As oficinas serão gratuitas e abertas ao público e têm o intuito de orientar sobre o processo de inscrições para o edital. Lançado neste mês, ele vai premiar com R$ 10 mil, 500 iniciativas culturais que valorizam a cultura popular brasileira.
As oficinas ocorrerão, na segunda-feira (3), entre 14h e 18h, na Fundação Espaço Cultural - José Lins do Rego, na cidade de João Pessoa, e na cidade de Pombal, na Escola Estadual Arruda Câmara, na terça-feira (4), às 09h.
Em Pombal, no dia da oficina, haverá apresentação de grupos de pontões e reisado. Após a oficina, haverá uma exposição e um recital poético com o cordelista da cidade. O professor de artes Luizinho Barbosa destaca a importância do evento em levar formação e assim valorizar o artista popular do Sertão da Paraíba. “Parabenizo às equipes da Secult e do Minc pelo evento e ressalto a importância de se homenagear Leandro Gomes de Barros, com o nome do edital, uma pessoa natural desta cidade”.

O Prêmio

O Prêmio Culturas Populares Leandro Gomes de Barros vai premiar as iniciativas que fortaleçam as expressões culturais populares brasileiras, retomando práticas populares em processo de esquecimento e que difundam as expressões populares para além dos limites de suas comunidades de origem.
Exemplos dessas iniciativas são o Cordel, a Quadrinha, o Maracatu, o Jongo, o Cortejo de Afoxé, o Bumba-meu-Boi e o Boi de Mamão, entre outros. Só não estão incluídas Culturas Indígenas, Culturas Ciganas, Hip Hop e Capoeira, por já serem objeto de editais específicos lançados pelo MinC.
Das 500 premiações, 200 serão destinadas às pessoas físicas, outras duzentas aos coletivos culturais sem constituição jurídica, 80 a pessoas jurídicas sem fins lucrativos e com natureza ou finalidade cultural e 20 a herdeiros de mestres já falecidos (In Memorian), em homenagem à dedicação do trabalho voltado aos saberes e fazeres populares e às expressões culturais, com reconhecimento da comunidade onde viveram e atuaram.

Inscrições para o edital.

Cada candidato poderá apresentar apenas uma iniciativa para a seleção. As inscrições, abertas até 28 de julho, poderão ser feitas pela internet ou por via postal. Em caso de inscrição on-line, a documentação prevista no edital deverá ser preenchida, assinada e anexada ao Sistema de Acompanhamento às Leis de Incentivo à Cultura - SalicWeb.
Caso o candidato prefira realizar a inscrição por via postal, ela deverá ser enviada com aviso de recebimento obrigatório (AR) simples ou entrega rápida para o endereço especificado no edital.





fonte: Secult-PB. créditos: Gregório Medeiros

domingo, 25 de junho de 2017

SAIU NO JORNAL A UNIÃO


Cajazeiras sediará primeira edição do “Cine Açude Grande”

Conhecida por um açude que se localiza bem no centro da cidade, Cajazeiras, que está situada na região do Sertão paraibano, realiza seu Primeiro Festival de Cinema. Com um nome que homenageia esse afluente, o Cine Açude Grande acontece entre os dias 24 e 26 de agosto. Realizar um evento que exiba filmes paraibanos e nacionais, que não circulam nas grandes telas, além de disseminar a formação cultural por meio da realização de oficinas sobre a sétima arte, é o principal objetivo do evento. Para quem deseja inscrever suas produções, as inscrições online iniciam no próximo domingo (25) e terminam em 5 de julho.

Em algumas pequenas cidades do Estado já acontece este tipo de evento destinado às exibições e produções de conteúdos audiovisuais. Em Juripiranga, por exemplo, acontece o Cine Paraíso, que já realizou sua segunda edição e em Coremas, o famoso Curta Coremas, festival destinado também a impulsionar as produções culturais das cidades vizinhas. Thalyta Lima, uma das idealizadoras do Cine Açude Grande, disse conhecer esses outros festivais e destacou a importância dessa harmonia pelo fomento do cinema nacional. “Conheço esses outros eventos, também algumas pessoas responsáveis por eles e acho muito bacana que haja isso no nosso Estado, também penso nisso por causa da nossa população”, pontuou.

“A iniciativa também se deu por causa da relação que tenho com a Academia, pois como professora já trabalho esse tipo de atividade em sala de aula, ao assistir filmes e propor o debate, por exemplo”, acrescentou Thalyta. No entanto, o Cine é voltado para formação do público jovem, visando ampliar a audiência por intermédio e parcerias entre escolas públicas e privadas da rede de ensino da cidade. Assim, os alunos do Ensino Fundamental e Médio participarão de sessões destinadas exclusivamente para eles, com conteúdo proposto de forma lúdica e, principalmente, educativa. Os estudantes de cada faixa etária terão conteúdo específicos.

Artistas da Terra do Padre Rolim

Nesta primeira edição do Cine, artistas naturais de Cajazeiras – também conhecida como A Terra do Padre Rolim, serão homenageados pelos trabalhos que fazem tanto no próprio Estado, quanto na projeção que têm nacionalmente. Os atores da renomada família dos “Lira”, como Buda Lira, Bertrand Lira, Nanego Lira, Soia Lira, que exercem um trabalho grandioso na arte local, principalmente no teatro, além de Marcélia Cartaxo, que já tem uma carreira até mesmo internacional. “E também é bom para a cidade, pois há alguns atores e pessoas que exercem um trabalho genial na arte e que não são tão reconhecidos por isso. Buda, Soia, Betrand e Nanego são conhecidos pela família do seu pai e ninguém lembra do quão importantes são nesse cenário”, lembrou.

Ao ser idealizado também com caráter social, o Festival de Cinema de Cajazeiras possui duas vertentes principais, que são pontos de partida para a realização. Uma é a democratização do acesso à cultura, por meio da gratuidade das ações que são promovidas pelo evento, assim como o caráter educativo, que é proposto nas atividades que acontecem em paralelo ao Cine, como oficinas, debates e workshops.

As inscrições de filmes podem ser feitas de forma gratuita, o envio pode ser feito através de um link eletrônico, que vai estar disponível no blog: www.cineacudegrande.com.br. A seleção será feita diante do edital próprio, portanto, os filmes paraibanos e nacionais devem obedecer às categorias dispostas.




publicação: Jornal A União